sábado, 29 de janeiro de 2011

Graham Greene - O Terceiro Homem

O Terceiro Homem não é exatamente um livro, mas sim um roteiro para um filme homônimo. Segundo o escritor, Carol Reed chamou Greene para fazer um roteiro, e o autor escreveu primeiro em formato de livro, e acompanhou todos os processos de adaptação do texto literário para o filme. Esse filme foi um sucesso na época (1949), e foi remasterizado recentemente (2000). Não assisti o filme, mas deve serexcelente, não por ter ganhado um oscar, mas por ter ganhado o Festival de Cannes, e esse é um prêmio que, em geral, não decepciona.

Mas não viemos falar do filme e sim do livro.A primeira vantagem é quanto à produção da L&PM Editores. Esse livro em formato de bolso está (aparentemente) em ótima tradução e revisão; e o melhor de todos, num preço ótimo (8 R$ na Saraiva). A capa não foi muito agradável aos meus olhos, mas a lombada combina muito bem com meus outros livros da L&PM Pocket Plus (como Zweig, Fitzgerald, Dickson, Rilke e etc...).

A história é simples e movimentada, afinal, não se espera menos de um filme. O cenário é Viena dividida depois da Grande Depressão, onde todas as pessoas cometem atitudes corruptas, algumas mais inocentes e outras menos. O tipo de crime que a narrativa massacra é o da venda e adulteramento da penicilina, fato real que destruiu muitas vidas vienenses. O narrador é um policial que narra a partir do dia que conheceu Rollo Martins (no filme esse personagem possui outro nome), o protagonista do filme.

A história começa com a morte de Harry Lime, amigo de Rollo e que o leva para Viena. A partir desse acontecimento, Rollo se nega a aceitar que a morte do amigo é um acidente, e decide investigar o caso por caso por conta própria. Por conta de um problema com nome, Rollo acaba se fazendo passar por um escritor famoso chamado Benjamin Dexter (Rollo também é um escritor, mas ordinário, que assina como B. Dexter), embora faça isso sem a intenção e acaba causando algumas confusões na narrativa.
Alerta!!! Esse texto pode conter spoilers como o fato de que Lime é um pilantra que forjou a própria morte para fugir da polícia e é morto (de verdade) pelo seu amigo Rollo.
Durante a investigação, Rollo encontra coisas muito extranhas e conflitantes, até que ele descobre que Harry não morreu. Com a ajuda da polícia, Martins cria uma emboscada para Lime e acaba matando-o pessoalmente. Como eu disse, é uma história muito ágil, e até certo ponto interessante (levando em consideração que não sou muito fã do gênero, até gostei). Há uma história paralela de romance e uma forte presença política e histórica no livro. Há também (segundo minha análise) uma leve pítada de crítica contra a teoria literária da época, voltada apenas para o Cânone e que considerava a "literatura de entretenimento" como um lixo. De resto, é uma novela bem curta e ágil, que dá para ser lida de uma só vez no ônibus ou no intervalo do almoço.

Nota do Elaphar: 8,6

Edição Lida:
GREENE, Graham. O Terceiro Homem. Trad: Antônio Celso Nogueira. Porto Alegre: L&PM, 2007, 128p. (L&PM Pocket Plus, 590)

2 comentários:

  1. Gostei! Cito-o no meu blog hoje.Adoro Graham Greene!

    ResponderExcluir
  2. Ao lado de Graham Greene, Flannery O’Connor, Paul Claudel e Walker Percy, o francês Georges Bernanos figura entre os grandes escritores cristãos do século XX, ao ponto de o grande teólogo alemão Hans Urs von Balthasar ter-lhe dedicado um livro inteiro. Sua obra tem sido publicada no Brasil pela É Realizações Editora, e agora sua passagem pelo país é narrada ao público local. O estudo de Sébastien Lapaque “Sob o Sol do Exílio: Georges Bernanos no Brasil (1938-1945)” acaba de ser publicado, trazendo à luz a visita de Bernanos a várias cidade do Rio de Janeiro e Minas Gerais, sua estadia no sítio Cruz das Almas, sua revolta contra a mediocridade dos intelectuais e a ascensão do totalitarismo, sua amizade com pensadores brasileiros e a visita que Stefan Zweig lhe fez à véspera de se suicidar.

    Matérias na Folha de S. Paulo a propósito do lançamento do livro: http://goo.gl/O8iFve e http://goo.gl/ymS4lL
    Para ler algumas páginas de “Sob o Sol do Exílio”: http://goo.gl/6hAEOM

    Confira também:
    Diálogos das Carmelitas: http://goo.gl/Yy3ir3
    Joana, Relapsa e Santa: http://goo.gl/CAzTTk
    Um Sonho Ruim: http://goo.gl/Kd091z
    Diário de um Pároco de Aldeia: http://goo.gl/ISErLc
    Sob o Sol de Satã: http://goo.gl/qo18Uu
    Nova História de Mouchette: http://goo.gl/BjXsgm

    ANDRÉ GOMES QUIRINO
    mkt1@erealizacoes.com.br
    (11) 5572-5363 (r. 230)

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails